quinta-feira, 27 de março de 2014

O outro lado

Bom,  hoje eu poderia estar escrevendo sobre mim, sobre o meu mundo.
Mas, resolvi escrever sobre um outro mundo, um mundo secreto que muitas vezes é explorado, principalmente por mulheres, que já perderam a esperança de serem felizes no mundo em que elas já conhecem, o seu próprio.



Na maioria das vezes,  uma decepção amorosa leva a certas mulheres a acreditar que existe um mundo de possibilidades, um mundo onde elas possam achar talvez o seu "príncipe encantado", sorte daquelas que não acreditam mais nisso, pois algumas vezes, muitas mulheres se deparam com um "mundo obscuro", o aliciamento de mulheres.



Na maioria das vezes, sites de namoro, relacionamento com propagandas lindas e bem trabalhadas, prometendo um encontro perfeito, esconde por trás dos Bits e Bytes armadilhas cruéis para essa pessoas que muitas vezes carecem de atenção, de palavras amigas, outras vezes nem é culpa do site e sim dos certos integrantes que visam obter vantagem, encontrando, vasculhando perfis, uma pessoa que esteja despreparada e muitas vezes desiludida, que espera uma chance de ser feliz longe do seu país.

Outra vezes, mulheres que buscam aventuras amorosas com a opção de "um novo" romance, uma nova oportunidade se sujeitam a esse tipos de pessoas, se já complicado você conhecer verdadeiramente uma pessoa de seu convívio, imagine um ser virtual, onde tudo o que você sabe a respeito dele, está ali escrito, às vezes, muito bem editado, preparado, direcionado para aquelas que não acreditam mais em nada.

As vezes essas mulheres, sem perceber se tornam um "objeto sexual", onde ficam posando em fotos e se exibindo em Web câmeras para atrair os olhares daqueles que elas jugam, sem saber ao certo, ser o seu par ideal.

O contexto desse texto não é recriminar e sim chamar a atenção para a pessoa do outro lado da Web câmara, "aliciamento de mulheres", algumas vezes tem o seu início assim: numa promessa de um mundo novo, de uma vida nova, só que quando a mulher chega ao seu destino, se depara com algo assustador, bizarro, e fica na maioria dos casos sem saída.



Existem casos até de mulheres que já foram estrupadas aqui mesmo no local onde vivem, pois marcaram um encontro com um homem, com o perfil ideal, e no momento do encontro, onde tudo era para ser perfeito, foram obrigadas a se sujeitarem a abusos, pois o mesmo não estava sozinho, estava esperando com amigos.  E depois do ocorrido, muitas das vezes essas vítimas, não são capazes de reportar o ocorrido numa delegacia especializada, por medo, pela situação humilhante que passou, pelo estado emocional que se encontra,enfim, os "bandidos", continuam soltos, esperando a próxima oportunidade.

Todo cuidado é pouco para se evitar casos como esse. Sites com propaganda oferecendo 100% de segurança, na verdade não existem, sempre há uma maneira de se alcançar outros objetivos mais obscuros.
Muitas das vezes a culpa são dos próprios usuários que se habilitam a se aventurar num "cruzada" amorosa nesse frio mundo digital, com promessas de uma relação quentes, de um "futuro promissor".

Para mulheres que não acreditam mais em príncipes encantados, entrar num site de relacionamento acreditando que vai encontrar a pessoa certa desta vez... Me perdoe, mais é quase a mesma coisa.
Se a intensão é se divertir, cuidado e moderação são palavras chaves aqui, ter paciência, pesquisar e apurar realmente quem está do outro lado, isso pode salvar sua vida (de muitas formas).

Bom vou ficando por aqui, se me perguntarem se já me inscrevi em algum site desses, não vou menti, já entrei em alguns, analisei e percebi uma coisa: Fotos se editam, vídeos também, textos bem formulados, muita coisa é pura fantasia, cheguei a conclusão que o que vale a pena é um bom papo com a pessoa pessoalmente, podem valer mais do que tudo isso.









quinta-feira, 2 de janeiro de 2014

Voar (2)

Eis que estou mais uma vez aqui no meu cantinho de palavras, cantinho esse que uso para escrever numa tentativa de colocar num meio digital aquilo que se passa "em meio a minha mente..."

E agora devo avisar que infelizmente o meu primeiro texto, por culpa minha talvez, foi perdido em meio de tantos bits e Bytes nesse mundo virtual, e as vezes frio chamado de INTERNET, a grande rede.


Bom, e agora por onde começar... Uma vez que neste momento vai ser um recomeço... Perdoe esse nobre que lhe escreve...

Lembro que eu relatava como é bonito o voo das aves e como eu tinha vontade de estar ali, num céu azul, às vezes totalmente azul, às vezes preenchido com algumas nuvens, isso nem iria me preocupar, tamanha a imensidão desse espaço que chamamos de Céu...

Lembro de ter citado o modo de vida das aves, de como fiz um analogia a vidas dessas criaturas...


Bom, sobre a nossa vida, eu estava refletindo, penso de com é complexo o ato de viver, e ao contrário de alguns estudiosos e pensadores, eis que dizem: é algo simples de fazer, assim eu estava comparando com o modo de vida das aves, elas precisam se alimentar, ter um abrigo, para se protegerem, dão continuidade a sua espécie, e elas voam, bom, nem todas na verdade, mas, aqui na sua maioria, ela voam magnificamente e de forma divina. Eis a sua simplicidade de vida.

Me lembro de ter citado que até mesmo elas tem uma rota, um "percurso" por assim dizer, e que quando acham que devem, voltam as suas origens, do seu ponto de partida, uma migração, que tem seus ciclos.



Lembro de como seria bom sair na vida em um voo e alcançar as nuvens e dela passar, sim foi isso que fiz em determinado momento da minha vida, estava acompanhado e com essa pessoa, fiz voos bem altos e voe acima das nuvens, e teria permanecido lá em cima não fosse a tempestade que estava por vir...
Lembro de ter relatado de como seria difícil e assustador ter que descer, passar pelas nuvens mais uma vez, mas, sem saber o que lá em baixo seria encontrado, sim, para quem voa sem auxilio de instrumentos e suporte de outros, deve ser essa a sensação... Não saber o que vai encontrar.

Bem, em minha vida não tão simples assim, fiz minhas escolhas e meus voos, não posso negar que foi um momento maravilhoso da minha vida, voar voos altos, bem altos, acima das nuvens com a pessoa amada ao lado,  é simplesmente inesquecível, mas, infelizmente, como quase todas as coisas boas da vida, teve seu preço e por consequência seu fim... Pois ao contrário das aves, nem todas, pois não posso afirmar, se eu permanecesse nesse voo, não poderia mais voltar para as minhas origens.

Seria renegar todos aqueles que de uma forma direta ou indireta contribuíram para essa jornada, e isso eu não poderia fazer, e mais ainda, eu não poderia jamais, deixar para trás, uma parte de mim, um pedaço enorme do meu coração.


Mesmo com todas as paisagens lindas, com todas as maravilhas que poderiam ser me oferecidas nessa jornada, eu não poderia ir sempre em frente sem olhar para trás, e infelizmente, a minha companheira não pensava dessa mesma forma... Dentre outras coisas que ela não pensava como eu, estava o fato de não se preocupar com a tempestades que poderiam aparecer, com o abrigo que deveria ser sólido e em terreno seguro, a sua maior preocupação era alcançar voos mais altos ainda, sem prestar muita atenção no presente e fugindo desesperadamente do seu passado.

Enfim, foi o fim... Fim dessa jornada que jurei ser a minha maior aventura, a aventura da minha vida... Voltei as minhas origens, ainda olho para o céu, procurando pela minha companheira que agora já deve estar, mais uma vez, em pleno voo, torço e rezo por ela, para que ela possa encontrar alguém que possa pagar o preço que ela determinou. Não sei se as aves amam, se elas sabem o que é o amor, mas, do que aprendi sobre isso, posso afirmar que ela ainda não o encontrou. Tentei de algumas forma mostrar o seu significado, mas foi em vão...

Hoje sei que preciso seguir com minha vida em frente, mas sei que existe um lugar seguro que posso voltar quando quiser, um abrigo com pessoas amadas, ainda não penso em sair voando, até mesmo porque, não sei para onde ir, nem como, nem quando, nem com quem partir... Só sei ao certo de uma coisa na minha vida:

Voar é preciso







domingo, 24 de novembro de 2013

Caminhar

Lições da vida

Bom, ainda nem sei por onde começar.. 

Estou hoje aqui na beira da praia (na praia da Bica) escrevendo essa postagem 
Provando uma "Piñacolada blue" e degustando um "Versace" (sorvete com um brownie, basicamente) com um cenário muito diferente do qual estou acostumado 



Depois de muito tempo persistindo numa relação a dois, digo isso, e, assim, pois... Na verdade,  fui eu que pedi a segunda chance,  e não consegui ter sucesso. (culpa totalmente minha). 

Bom, explicada essa parte,  eis que agora sou obrigado aprender a viver sem outra pessoa ao meu lado. Para alguns,  isso parece ser muito simples,  mas, lhe confesso que não é. 
Não sou mais um garoto, nem um recém saído da adolescência, sou homem,  e com um filho para criar. Cheio de responsabilidades e contas para prestar, a vida, agora, não pode se resumir a casa, trabalho,  casa. 
Tenho a minha vida pessoal,  e não sei mais como viver assim,  sozinho... 
Adoro a companhia do meu filho,  ele é minha salvação,  mas, por pouco tempo. 
Logo vai ter sua vida , sua namorada e por aí vai...
Por onde começar então, não me deram nenhum manual que explicasse o que fazer nessa situação...
E, olha, já é minha segunda vez...(terceira talvez). A primeira e mais complicada foi com a mãe do meu filho.

Mas, aprendi com a vida, devemos sempre acreditar que pode existir esperança, pois a segunda mulher da minha vida, na verdade foi a primeira, pois jamais amai tão intensamente outra pessoa... Como Amo ela.

Sim, é isso mesmo, amor de verdade, que não se conjuga no passado... sinto ele e vou sentir por toda minha vida.

Mas, como fazer agora, não tenho nem mais a amizade do outro lado, pois, essa foi uma das razões que me levaram a terminar tudo, não ser correspondido com a mesma intensidade que eu me colocava, em que eu sinto. 
O que fazer então??? 
Resolvi que devo seguir em frente, "caminhar", sempre para frente, mas, às vezes, dou uma olhadinha rápida para trás, sinto saudades, choro e volto a deslumbrar o caminho que tenho que percorrer.


Não sei quanto tempo vou ficar nessa nova "Caminhada", nem sei sei se vou ter outra oportunidade em minha vida de conhecer outra pessoa. Agora penso que o restante da minha vida está tão complicada, tão assim tudo de "pernas para o alto". 

Procuro focar os meu problemas de maior impacto (além dos sentimentais), são minha vida econômica, pois esse era outro fato, investi pesado na relação, achei que poderia ter uma parceria, um suporte quando houvesse a necessidade, mas percebi que estava totalmente sozinho nessa "luta", no início, quando fiz a proposta de "bancar sozinho tudo", seria "tudo sozinho" ao meu modo de "vida operante", aquilo que seria a minha realidade e não a da outra parte, mas a outra parte não quis, resolvemos dividir as responsabilidades e com o tempo e acabei sobrecarregado e pior, a outra parte nem percebia.

Bom, isso agora é passado, assumi todas as contas que nós tínhamos e estou pagando por elas....

Isso faz com que minha caminhada seja um pouco "amarga", pois atualmente minha vida se resume a pagar contas e torcer para o próximo mês chegar, sem expectativas de, sei lá, sair para assistir um SHOW, nem pensar, o máximo que faço e ir ao cinema com meu filho, o que nesse ponto já é minha obrigação!!!!

A "caminhada" que faço agora já não é a mesma que fiz a anos atrás, quando foi minha primeira vez (a mãe do meu filho).

Agora penso em ter uma certa estabilidade econômica como prioridade, o coração, esse vai ficar em segundo plano... Espero poder realizar, não que meu atual emprego não seja bom, é até um bom emprego, mas, na vida acho que podemos desejar sempre melhorar, evoluir.

Ainda me resta o prazer das caminhadas aos finais de semana na beira da praia, em Ipanema, na Ilha mesmo, e até mesmo durante a semana, quase todos os dias, saio para caminhar.

Pensando em tudo o que fiz, foi feito e no que vou fazer, procuro focar no presente, saber onde estou.

Não culpo em nada a outra parte, a culpa foi minha, achei que pudesse fazer nossa relação ser igual a um filme romântico desses do cinema, em que a mocinha fica totalmente apaixonada pelo herói do filme e lhe faz juras eternas de amor, não, não foi assim.

 Achei que poderia lutar ao lado dela pelas causas mais nobres do meu coração e enfrentar tudo e a todos, lutar por causas ditas perdidas  e ganhar, mas, ela não sentia isso tudo por mim.... Ela se amava, e muito...

Bom isso fica de aprendizado também.
Hoje sei que caminhar é preciso, é uma necessidade básica, seguir em frente e ver no que vai dar, não tenho vergonha de dizer, sinto muita falta, mas, não quero sofre e morrer de amor por alguém que nem sente o que eu sinto.

Se um dia DEUS permitir, se ele permitir que uma pessoa entre em minha vida e que me ame tudo o que eu tenho para amar... Vou ficar muito agradecido... Mas até lá... caminhar é preciso!!!






sábado, 9 de novembro de 2013

Um Dia


Um dia eu sozinho fiquei

Um dia não estava mais ao seu lado
Você que me deu o meu maior presente... Seguiu o seu caminho.

Um dia eu chorei

Um dia eu acordei assustado

Um dia eu me vi envolto em sombras

Um dia eu estava perdido e sem esperanças




Um dia eu rezei

Um dia fui viajar

Um dia eu te encontrei

Um dia eu pensei... Finalmente

Um dia eu perdi o medo de amar

Um dia nossos corpos se encontraram
e nos amamos

Um dia nós nos perdemos

Um dia decidimos tomar outros rumos

Um dia eu me afastei de você

Um dia eu voltei a sofrer

Um dia, eu me sacrifiquei, me dividi em dois, mas, eu voltei para você

Um dia eu vivi intensamente ao seu lado só para você

Um dia eu acordo e vejo que algo havia mudado

Um dia, o mais triste de todos, eu vi que você não me amava o que eu te amava

Um dia olho para trás e vejo a minha outra metade triste e sei que um dia ela também vai seguir seu caminho




Um dia olho para frente e já não vejo no consigo enxergar lá no horizonte, você ao meu lado

Um dia tomo a decisão mais difícil da minha vida

Um dia eu sai do seu lado, mas deixei outra parte de mim com você

Um dia tenho comigo a parte que deixei para trás e essa agora tem minha total dedicação

Hoje eu rezo por mim e peço por você, que ainda é dona da minha outra metade

E um dia quem sabe, eu possa a voltar a ser inteiro mais uma vez.


















quinta-feira, 7 de novembro de 2013

Navegar



Quando  comecei a escrever esse texto, era exatamente dia 23/10/2013, e como uma  canção que diz: amanhã é 23, faltam 8 dias para o fim do mês... 
A letra de uma música que "curto muito",  dia 23 de outubro de 2013... 
Por mais que possa parecer intencional minha postagem, ela não é... 
Venho pensado em como vai ser minha vida daqui para frente... 
Pois até momentos atrás eu ainda vivia uma "vida a dois", ainda estou meio perdido no meio de toda essa confusão,  que se chama: "Minha VIDA"...
Não foi fácil tomar a atitude que tomei, aliais, sempre me cobraram isso... 
E em 2 momento da minha vida tomei atitudes que são um paradoxo de conceitos, uma da outra...



Num primeiro momento, vivi a certeza que deveria me aventurar num "OCEANO" chamado de paixão, de um grande amor, como de um romance de um filme, fui, deixei meu passado para trás, deixei até uma parte de mim, do meu coração para trás, para viver aquilo que na minha cabeça, naquele momento seria a coisa mais certa a se fazer...
"VIVER",  "AMAR"...
E vive e amei...
Mas, o "TEMPO", esse não deixa nada escapar, veio me mostra que certos conceitos não estavam perfeitos, nem direitos, tão pouco corretos, mas, se fechasse os olhos... 
Caberia...
Eis o problema, não conseguia mais fechar os olhos, e para piorar ainda tentava ver mais a frente...




E nesse OCEANO de amor, paixão, carinho e sexo (isso mesmo, muito sexo, faz parte), percebi às tempestades que estavam por vir...
E não eram a meu favor e eu não tinha a certeza absoluta em meu coração, de que teria total apoio quando fosse necessário pedir ajuda...
Uma luz, um "Farol" para me guiar...
Ainda assim me mantive firme no leme dessa "embarcação" acreditando na minha "tripulação".
Mas, a cada dia que se passava, eu percebia que não poderia mais manter esse curso e nem continuar a viagem.

Eu tinha conhecimento dos meus compromissos  e das minhas tarefas, numa vida a dois, isso é importante, mas, nem sempre o outro lado podia manter a sua parte. Compreendia e ajudava quando dava, mas, isso começou a se torna constante, e me "minava" a cada dia que se passava.

E em certo ponto eu já não podia ajudar  e nem cumprir com a minha parte, então me vi em "CHEQUE"...

Eis que então é chegado o momento de saber se eu iria ou não ficar para esperar a "tempestade", faria isso de peito aberto, sem pensar... 
Mas, percebi que existia a possibilidade de estar sozinho nessa luta... 
Depois de tanto tempo acreditando que eu estava construindo "algo"... 
Me deparo com uma triste realidade, de que nada havia germinado, assim como água cristalina, ficou claro para mim, que minha companheira de viagem, tinha o mesmo sentimento por mim que do início da viagem, e que ainda existia a possibilidade de escolher outra embarcação.

Não me senti mais a vontade e com tanta coragem de entrar na tempestade, pois tinha tudo para cair...

Então, estava decidido, fim da viagem, nada mais de tempestades, lutar em vão não trás honra e nem frutos. Percebi no meu ato que poderia até ser melhor para outra parte, uma nova vida, uma nova viagem, outra embarcação...

Não foi falta de coragem, foi pelo simples fato de que não adianta lutar por um "Amor" que não lhe é correspondido, lutar, se sacrificar, morrer... Em vão...
Já fiz isso uma vez na minha vida, e aprendi a lição.

Eis agora eu volto a "estaca ZERO", no porto a onde deixei parte do meu coração, agora meu coração continua incompleto, por parte dele ficou para trás, mais uma vez.

Mas, agora, nesse porto seguro onde estou, tenho certeza que posso de peito aberto encarar qualquer tempestade que venha, pois existem pessoas que, mesmo quando eu lhe virei as costas, continuam a me ajudar, me apoiar, era disso que eu estava precisando e faltou na viagem dos meus sonhos... Triste... Mas... Verdade...

Um relação é muito mais do que amor, carinho, sexo, é saber quando o outro precisa de ajuda é ajudar mesmo quando esse não pede, é apoiar, compreender, mas nunca é tarde para se aprender.

Navegar é preciso, hoje estou me preparando, sem pressa, focado no presente e não mais no futuro, me preparando para dar conta do que for preciso encarar, e quando DEUS determinar que é a hora... 
Vou voltar a "navegar no Oceano".